Executivo da Binance tem fiança negada na Nigéria

Por Clara Ventura
Foto: Dall-e 3

A juíza Emeka Nwite, do Supremo Tribunal Federal em Abuja, na Nigéria, negou a concessão de fiança a Tigran Gambaryan, executivo da Binance, em um caso envolvendo acusações de lavagem de dinheiro e violação fiscal.

Gambaryan e a Binance estão sob investigação por supostamente lavar US$ 35 milhões e por irregularidades fiscais. A decisão teve como base o argumento da promotoria de que Gambaryan representa um risco de fuga, considerando a gravidade das acusações.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Gambaryan, que é chefe de conformidade com crimes financeiros na Binance, está na Nigéria, sob detenção, desde fevereiro. Ele chegou ao país para discutir as operações da exchange de criptomoedas com autoridades governamentais.

Detenção de executivo da Binance na Nigéria

A Comissão Nigeriana de Crimes Econômicos e Financeiros (EFCC) está conduzindo o caso de lavagem de dinheiro. Enquanto isso, o Serviço Federal de Receita Interna da Nigéria (FIRS) está lidando com a acusação de evasão fiscal. Em 8 de abril, Gambaryan se declarou inocente das acusações de lavagem de dinheiro.

Um porta-voz da Binance expressou desapontamento com a decisão da juíza Nwite, ressaltando que Gambaryan não possui poder de decisão na empresa e tem um histórico de serviço público dedicado ao combate ao crime. A Binance considera as acusações infundadas e defende que Gambaryan deve ser libertado enquanto as negociações entre a exchange e o governo nigeriano continuam.

🎯 As Melhores Memecoins para Comprar Agora
Confira as Oportunidades e Comece a Investir

O CEO da Binance, Richard Teng, também se manifestou. Ele defende a inocência de Gambaryan e pede a sua libertação. Teng criticou a detenção de funcionários da empresa que foram ao país para reuniões políticas colaborativas.

De acordo com o executivo, o episódio abre um precedente perigoso para empresas globais. Gambaryan, cidadão norte-americano, e Nadeem Anjarwalla, gerente regional da Binance na África, foram detidos ao chegarem à Abuja em fevereiro. Anjarwalla, no entanto, escapou da custódia em março.

O julgamento de Gambaryan por lavagem de dinheiro começou recentemente, e a situação continua a evoluir enquanto a Binance e autoridades nigerianas buscam resolver as questões legais pendentes.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Compartilhe este artigo
Siga:
Clara Ventura é uma jornalista com quatro anos de experiência em cobertura de Bitcoin, criptomoedas, tecnologia blockchain e Web3. Graduada em Jornalismo e com pós-graduação em Jornalismo Digital, Clara combina sua paixão pelo mundo das criptomoedas com habilidades jornalísticas para produzir reportagens relevantes para um público amplo e diversificado.
Sair da versão mobile